Hospital Regional de Redenção suspendeu Transplantes de Rins

231

Diretores do Sindmepa visitaram o município de Redenção na semana passada para verificar a situação da saúde no município. Eles tiveram audiência com o prefeito Carlo Iavé e o Secretário de Saúde Municipal, Waldinar Nunes; além de reunir-se com os Delegados Sindicais no município, Edson Portela, diretor clínico do Hospital Municipal e Ugo Bícego. De acordo com o diretor João Gouveia, que participou de uma visita técnica da entidade ao município – em novembro do ano passado, a situação da saúde local não registrou avanços nesse período.

Na área do transplante, houve um retrocesso”, disse João Gouveia, destacando que o Hospital Regional Público do Araguaia suspendeu a realização de transplantes de rins inter-vivos, o que representa mais atraso na política de transplantes do estado, já que o hospital regional de Redenção era o único que fazia esse tipo de transplante além de Belém.

Ainda sobre o hospital regional, a equipe do Sindmepa constatou que o parque tecnológico continua obsoleto desde a inauguração do hospital, o que prejudica a qualidade dos exames, as máquinas de hemodiálise continuam insuficientes para a demanda e a tomografia está há um ano sem funcionar. “O mais grave é o pagamento dos servidores, que é feito na modalidade de contrato de pessoa jurídica, uma clara manobra para burlar a legislação trabalhista”, disse João Gouveia.

Na esfera municipal, constatou-se que “a cobertura do Programa Estratégia Saúde da Família não apresentou qualquer evolução, mantendo-se no percentual de 31%; os médicos estão recebendo salários parcelados e ainda houve uma redução no valor dos plantões”, disse João Gouveia, que foi ao município juntamente com os diretores Maurício Vulcão e Erivaldo Pereira, além da assessoria de imprensa da entidade.

A UCI Neonatal do hospital materno-infantil continua sem funcionamento por falta de recursos humanos qualificados. O município desistiu de assumir a UPA que estava em fase final de construção e provavelmente o prédio vai ser usado em outras atividades. Também no município, os médicos são contratados sob regime de pessoa jurídica.

No Hospital Municipal, os plantões de doze horas foram reduzidos de R$ 1000 para R$ 850,00, informaram os delegados sindicais de Redenção. Além de sobrecarregados, os médicos estão recebendo os pagamentos parcelados com atraso de dois meses, desde o ano passado.

A redução dos valores dos plantões, assim como o pagamento parcelado dos valores, segundo o Secretário de Saúde, Waldinar Nunes, foi parte de um pacote de medidas necessárias para que o município se enquadrasse na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Ao assumir o governo – em janeiro deste ano – após a morte trágica do prefeito Wanderley Coimbra, o novo prefeito, Carlo Iavé disse que encontrou uma dívida muito alta e para sanear o município tomou várias medidas. A redução dos valores do plantão seria uma alternativa para não reduzir o quadro de médicos. Tanto o Prefeito quanto o Secretário, disseram que a situação vai se regularizar em breve.

Em reunião com os delegados sindicais, os diretores do Sindmepa conversaram sobre a necessidade de melhorar a infraestrutura do sindicato, ressaltando que isso só será possível desde que haja ampliação do número de sindicalizados que cubra as despesas operacionais. O Sindmepa também vai criar um grupo no WhatsApp para melhorar a comunicação entre médicos de Redenção e diretores do sindicato.

A equipe do Sindmepa também prestou esclarecimentos ao titular do Juizado Especial Criminal, Andrey Magalhães Barbosa, em ação judicial sobre publicações veiculadas no site da entidade no ano passado, relatando agressões sofridas por médicos locais que se recusaram a assinar laudos de perícias. O juiz se julgou incompetente para analisar o processo entendendo que deve correr em juizado especial de Belém. A Promotoria de Redenção se manifestou favorável ao arquivamento do processo não vendo conduta dolosa ou típica de calúnia no texto veiculado.

COMPARTILHE